Kawsalpa

De UBRwiki
Ir para navegação Ir para pesquisar
Poblacht na Kawsalpa (Auber)
Ripuwlka a Kawsalpa (Keruwa)

República de Kawsalpa
Kawsalpa.png
Brasão
Bandeira Brasão
Lema: Ñuqayku kay anku! (Nós somos resilientes!)
Gentílico: Kawpasa

Localização Kawsalpa

Localização de Kawsalpa em Adalar.
Capital Tayekbant
Cidade mais populosa Tayekbant
Língua oficial Auber
Keruwa
Governo República Semipresidencialista sob regime totalitário
 - Presidente Vago
 - Primeiro-ministro Vago
 - General de Exército Acahuana Ilyapa
 - Marechal do Ar Pacari Suyuntu
 - Almirante Zaramanna Hualca
 - Independência de Auberon XX/XX/5965 
 - Fundação da República XX/XX/5973 
Área  
 - Total 624 394 km² (7.º)
População  
 - Estimativa para 6010 28 038 982 hab. (14.º)
 - Censo 5990 25 326 894 hab. 
 - Densidade 40,90 hab./km² 
PIB (base PPC)
 - Total $ 26 797,8 milhões 
 - Per capita $ 955,37 
IDH (6000) 0.354  – elevado
Moeda Kalpa (KAL)
Fuso horário -6 (UTC-6)
Org. internacionais Liga das Nações
Cód. ISO KAW
Cód. telef. +55

Mapa Kawsalpa

Kawsalpa, oficialmente República de Kawsalpa(em Auber: Poblacht na Kawsalpa; em Keruwa: Ripuwlka a Kawsalpa), é um país localizado no continente Letânia Oriental, banhado pelo Mar Letão, é um dos maiores países do mundo em área, com aproximadamente 624 mil km² e uma população de 24,5 milhões de habitantes, sendo o décimo quarto país mais populoso de Adalar e composto quase igualitariamente por nativos e descendentes de aubers. Faz fronteira terrestre ao norte com Grinquercheve, à nordeste com Pon, a leste com Koñamará e Kawsailani, a sudeste com Kawsasirik e marítima à oeste com Wainui.

A região em que Kawsalpa foi oficialmente encontrada pelos Aubers em 5538, quando chegaram na Ilha de Mujekee, no sul do país, em uma expedição liderada por Eochagan O'Bernei. A região era habitada previamente por nativos, principalmente Mywangicos, Leathans e outros grupos divididos em variados grupos linguísticos. Desde então, o país foi uma colônia Auber até o ano de 5973, quando houve o rompimento do vínculo colonial, com o retorno do monarca à Auberon para lutar em sua guerra civil. A independência foi declarada no mesmo ano, por Comyunge Jungel, então governador-geral que se torna rei de Kawsalpa. Porém a monarquia não perdura por mais de alguns meses, quando dá lugar a república que perdura até então. Atualmente, Kawsalpa atravessa uma ditadura militar que teve início no ano de 6001, com a Revolução dos Imigrantes.

Kawsalpa não figura entre as maiores economias globais, com apenas a décima-primeira maior economia, com 26,8 bilhões de Sciaths e per capita de 955 Sciaths. Entretanto, o país é considerado um dos principais celeiros do planeta, sendo um dos maiores produtores de gêneros alimentícios e com uma forte indústria alimentícia. Outro setor de destaque na economia kawpasa é o de petróleo e gás, sendo o maior produtor de ambos e também tem destaque nos setores petrolíferos. Kawsalpa é considerada como uma potência regional economicamente e diplomaticamente, pois possui a maior economia da região e uma das maiores economias per capita. O país é um membro integrante da Liga das Nações.

Etimologia[editar | hide all | hide | editar código-fonte]

De acordo com filólogos e historiadores, a raiz etimológica da palavra Kawsalpa é derivada do antigo Keruwa, como sendo a junção das palavras Kawsay, cujo significado é terra, solo e Allpa, que significa viva, movimento, sendo portanto terra que se mexe ou terra viva. Acredita-se que esse nome foi dado em função dos constantes terremotos que são frequentes no país, que tremiam a terra com tal intensidade que fazia parecer ter vida própria, segundo relatos dos antigos. Ainda existem outras teorias para o nome, todavia sendo esta a mais aceita e difundida por toda sociedade.

História[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História de Kawsalpa

Kawsalpa é um país com uma rica e antiga história, remontando desde 50 mil anos atrás. Para facilitar o estudo, historiadores dividiram toda vasta história em grandes períodos e seus desdobramentos. São eles: O período pré-aubérico, o período colonial e os dias atuais. Abaixo estão resumidos e divididos alguns acontecimentos históricos.

Período Pré-Auberico[editar | hide | editar código-fonte]

O Período Pré-Aubérico é um dos intervalos históricos criado por historiadores para facilitar e catalogar mais facilmente evidências e descobertas. Ele compreende o intervalo entre a chegada dos primeiros humanos no território kawpasa e suas obras, como assentamentos, migrações até a chegada dos colonizadores Aubers. Ele é dividido nos subperíodos abaixo. É um período riquíssimo de história, graças ao fato de Kawsalpa ser lar de antigas civilizações e ter abrigado massivas migrações humanas.

Primeiros humanos e povoados[editar | hide | editar código-fonte]

A região hoje conhecida como Kawsalpa já era habitada por humanos a aproximadamente 50 mil anos, por nômades caçadores-coletores e pastores, vindos em ondas migratórias da Cisletânia e estabeleceram-se na região, seu estabelecimento foi gradual mas as técnicas de caça desenvolvidas antes da chegada ao planalto kawpasa levaram a extinção de diversas especies de megafauna locais, como por exemplo o Mamute Montanhês, tais migrações foram depois suplantadas por migrações posteriores, e a região se tornou um importante pólo durante o período neolítico, sítios arqueológicos desse período são encontrados nos arredores de Mywangu. Também foi nesta época que foi trazido a habilidade de realizar trabalhos com ouro, durante as grandes migrações.

Civilização Mywangica[editar | hide | editar código-fonte]

Um dos artefatos criados pelos Mywangicos.

Fruto das constantes migrações ocorridas na região conhecida como Conair imirce, na região de Gwollyan, alguns dos nômades resolveram ali se estabelecer e fundaram ali uma civilização, a Civilização Mywangica, em 1200. Era uma civilização bastante avançada e rica para a época, pois situava-se em uma das Rotas Douradas, onde os misäntos comercializavam seu ouro. Os Mywangicos também eram exímios agricultores e estima-se que eles foram os responsáveis por espalha-la por toda a região. Também são conhecidos por terem grande habilidade com trabalhos em ouro e outros metais. Existe uma vasta coleção de artefatos criados por eles em ouro e cobre, que atualmente estão expostos no Museu Pré-Histórico de Kawsalpa, em Tayekbant. Esta civilização também coincidiu com a chegada da escrita, com o sistema Tsipro, por volta de 1350. Com isso e a habilidade de manusear metais, a civilização viu seu ápice, onde artefatos apontam que existia um sistema de comércio avançado, com troca de valores e documentação, além de uma rígida hierarquia social.

Os primeiros sinais de queda da civilização começaram a ser percebidos por volta de 1850, com o grande inverno, que durou aproximadamente 1 ano e meio e trouxe profundas mudanças na estrutura social. Com a escassez de alimentos e outros itens básicos, os preços dispararam e espalhou-se grande fome, que acabou gerando grandes fluxos migratórios para fora das cidades, diminuindo a produção não só de alimentos mas de ferramentas e de mão de obra, acentuando ainda mais a crise alimentícia. Nas cidades, conflitos por alimentos e até mesmo algumas formas de crime foram documentadas. Ao longo dos próximos 50 anos, a fuga das cidades foi acentuada e o declínio do que já fora uma das mais prósperas civilizações foi decretado. Até que em 2045, eram raras as cidades que ainda haviam moradores enquanto a maioria fora abandonada ao longo do tempo.

Época Fértil[editar | hide | editar código-fonte]

Uma das canoas construídas pelos Leathans.

A partir daí iniciou-se o que ficou conhecido como a época fértil, um período de cerca de 500 anos com avanços e expansão da cultura agrária por toda a região. Outra civilização bem sucedida é a do Vale do Rio Leathan, estabelecida próximo a cidade de Qimata, no ano de 1569. Era formada tanto por agricultores como por bons pescadores. Os Leathans dominaram a arte de conviver com o mar e as águas correntes do rio, tendo construído diversos barcos e canoas para pescarem em alto mar e para se expandirem. Alguns Mywangicos fugidos de suas cidades chegaram aos Leathans e trouxeram consigo seus conhecimentos sobre burocracia e tentaram reordena-los, mas não foram bem aceitos e acabaram escravizados. A chegada dos estrangeiros foi benéfica para os Leathans, pois trouxe o conhecimento dos metais e da escrita, determinando seu ápice.

A expansão da civilização, impulsionada por esses novos conhecimentos foi tão forte e rápida que é atribuída a ela não só sua queda, no ano de 2120, mas também a difusão da cultura marítima por toda costa kawpasa. Atualmente existem alguns sítios pré-aubéricos preservados de ambas civilizações, responsáveis por fornecer todas a informações sobre o período.

Período Colonial[editar | hide | editar código-fonte]

O período conhecido como colonial se dá com a chegada dos colonizadores aubers chegando ao Arquipélago de Mujekee, na ilha homônima, no ano de 5538, em uma região próxima a atual cidade de Bakyxtent e termina com a independência de Kawsalpa, no ano de 5973, totalizando um período de 435 anos sob domínio auber.

Domínio Auber[editar | hide | editar código-fonte]

Os colonizadores aubers foram os primeiros a chegarem na região onde hoje em dia é ocupada por Kawsalpa, mais precisamente na ilha Mujekee, no arquipélago homônimo, em uma região próxima de onde hoje situa-se a cidade de Bakyxtent e ali fundaram um pequeno entreposto comercial, para negociar com a colônia também auber recém estabelecida em Wainui. Continuando sua expansão, os colonizadores chegaram ao continente e fundaram na baía Neal, mais um entreposto, na região onde hoje fica Ayertoke, porém desta vez maior e com maiores equipamentos. A partir dali, começaram a serem feitas expedições para o interior, em busca de novas terras férteis ou de civilizações nativas. Os Aubers tinham uma cultura colonial pacífica, de convivência e assimilação.

Monarquia Kawpasa[editar | hide | editar código-fonte]

Com a fuga da corte para Kawsalpa, em 5965, o rei passou a reinar diretamente de solo Kawsalpa sobre o império, tendo mesmo com pouco tempo, aplicado reformas importantes como a eleitoral, envolvendo o sufrágio universal e uma reforma comercial e industrial, além dos avanços trazidos pela presença da corte na cidade de Qimata, como nova iluminação pública e importantes instituições. Seu reinado foi breve, de aproximadamente sete anos, quando o rei voltou para Auberon durante a guerra civil em Auberon.

Independência[editar | hide | editar código-fonte]

Cenário em Auberon[editar | hide | editar código-fonte]

Com o crescente descrédito da monarquia Auber no país e sua queda posterior, por volta do ano de 5965, enfraqueceu o controle sobre sua colônias, inclusive Kawsalpa e, com a chegada da corte em Kawsalpa no mesmo ano, acabou gerando uma grande agitação nos anos conseguintes, como protestos e ataques a qualquer simbolo monárquico, como estátuas e prédios que simbolizavam o poder monárquico, com o claro objetivo de instaurar uma república democrática. Até que em 5973, o rei volta para Auberon, para fazer parte da guerra civil em Auberon.

República de Kawsalpa[editar | hide | editar código-fonte]

Com o vácuo no poder deixado desde a saída do rei de Kawsalpa para lutar na guerra em Auberon, Comyunge Jungel, governador-geral kawpasa tenta sem sucesso suceder o reinado e pacificar o país, já que as manifestações continuaram e se fortaleceram, tomando todo o país exigindo um modelo democrático e republicano, como o instaurado em Auberon. Esse movimento culmina na queda da jovem monarquia kawpasa no momento em que Lotuke Myngu, lider da insurreição popular, com amplo apoio dos parlamentares dá um golpe, derrubando a monarquia e instaurando a república e declarando independência, fundando no dia 22/11/5973, a Repúbica atual, independente.

Dias Atuais[editar | hide | editar código-fonte]

Revolução dos Imigrantes[editar | hide | editar código-fonte]

Após uma série de protestos violentos contra as políticas de assimilação de estrangeiros Wainuii e Grinquerchevos proposta por Boengu Fidez, que mesmo com seus esforços para abrandá-la pareciam não fazer efeito, no dia 26/09/6000, o primeiro-ministro Amaangu Qotipecue em um pronunciamento à nação dá um golpe no então presidente e se declara presidente e primeiro-ministro kawpasa e anula a política vigente. No dia seguinte, Boengu aplica um contragolpe, porém sem sucesso. Após horas de um intenso tiroteio, Boengu se rende e é preso e o exército kawpasa assume o comando da nação através de uma junta militar.

Geografia[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Geografia de Kawsalpa

Kawsalpa é o terceiro maior país do mundo em área territorial, sendo o maior de seu continente. No total, conta com uma área total de 624.394 quilômetros quadrados (km²). Seu território abrange dois fusos horários, UTC -6 e UTC -7, sendo este último apenas em uma pequeno trecho do país.

A topografia kawpasa é majoritariamente plana, tanto na costa como no planalto central, que se estendem continente a dentro. A altitude média de Kawsalpa é 186m, sendo o ponto culminante o Monte Lanqha, com 4382m e o ponto mais baixo o vale de XXXXXXXXX, com -5m. São formações geológicas comuns Planaltos, Montanhas, Vulcões entre outros.

Clima[editar | hide | editar código-fonte]

Classificação climática de Kawsalpa segundo a classificação de Koppen-Geiger.

O clima de Kawsalpa compreende uma grande gama de condições climáticas distintas. Segundo o sistema de Köppen-Geiger, Kawsalpa dentro de suas fronteiras hospeda pelo menos sete dos principais subtipos climáticos, variando de monções no noroeste ao temperado frio no nordeste, mediterrânico em boa parte do país e estepes e desertos no sul. Há quatro estações bem definidas na maior parte do país: verão, outono, inverno e primavera. A única exceção é no noroeste, onde apenas existem as estações seca e úmida.

A amplitude térmica anual Kawpasa é algo notável, visto que durante o verão existem regiões onde as temperaturas chegam à 35 °C em dias quentes de verão no noroeste e a -40 °C no extremo leste. O regime de chuvas é bem regular ao longo do país, exceto no sul, onde ficam as estepes e o deserto de ?????, onde o acumulado anual não passa de 500 mm.

Meio ambiente e biodiversidade[editar | hide | editar código-fonte]

Por ocupar uma área relativamente grande e com grandes diferenças climáticas, Kawsalpa possui uma grande diversidade de biomas, como estepes, pradarias, taiga, florestas tropicais, temperadas e outras, sendo este último o mais comum. E com tal diversidade nos biomas, sua fauna também apresenta grande variedade, com grandes mamíferos como ursos, veados, tigres, entre outros. A preocupação com o meio ambiente tem crescido em resposta ao interesse mundial nas questões ambientais, com o governo federal tentando achar soluções para a conservação ambiental.

O patrimônio natural de Kawsalpa está seriamente ameaçado pela agropecuária, exploração madeireira, mineração, reassentamento, desmatamento, extração de petróleo e gás, a sobrepesca, comércio de espécies selvagens, barragens e infraestrutura, contaminação da água, fogo e espécies invasoras. Em muitas áreas do país, o ambiente natural está ameaçado pelo desenvolvimento. A construção de estradas em áreas de floresta, abriram áreas anteriormente remotas para a agricultura e para o comércio; barragens inundaram vales e habitats selvagens; e minas criaram cicatrizes na terra e poluíram a paisagem.

Demografia[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Demografia Kawpasa

O censo Kawpasa de 5990 relatou uma população de 25,3 milhões de habitantes, sendo o Xº país mais populoso de Adalar. A taxa de crescimento demográfico do país tem aumentado desde 5997, junto com a taxa de natalidade, ao passo que em 6040 a população deverá alcançar cerca de 45,2 milhões de pessoas. Cerca de 75% da população do país vive em áreas urbanas, enquanto os demais estão nas áreas rurais. As maiores aglomerações de acordo com o censo de 5990 são a Grande Tayekbant, com 4,8 milhões de pessoas, a Grande Yakuhchuvy, com 2,7 milhões de habitantes e a Grande Easedare, com 1,8 milhões.

Kawsalpa tem uma sociedade multiétnica e a maior parte da população pode reivindicar alguma ascendência estrangeira, principalmente Aubérica. Os Aubers chegaram ao país durante o período colonial, sendo hoje em dia cerca de 19% da população. Além dos Aubers, também existem outros grupos de imigrantes significativos, como Uttakhs, Sanchokus e Koñamaris. Entre os grupos nativos, existem os Mywangicos e os Napukois, correspondendo a pelo menos 18% da população.

Composição Étnica[editar | hide | editar código-fonte]



Circle frame.svg

Composição Étnica Kawpasa

  Kawpasas (53.2%)
  Aubers (19.6%)
  Sukkhãs (12.4%)
  Mywangicos (8.2%)
  Sanchokus (6.1%)
  Demais nacionalidades (0.5%)

Segundo o IPK, no censo de 5990, 53.2% da população declararam se identificar como Kawpasas, 19.6% como Aubers, 12.4% como Uttakhs, 8.2% se identificaram como Mywangicos, 6.1% como Sanchokus, enquanto as demais nacionalidades não passaram de 0.5%.

A maioria dos kawpasas descende de povos nativos do país, colonos aubéricos e imigrantes das mais diversas partes de Adalar. Com a chegada dos Aubers, em 5538, um considerável número destes começaram a se estabelecer no país e realizar uniões. Já as demais nacionalidades vieram ao longo do tempo, como resultado das extensas e numerosas campanhas para atrair imigrantes para compor a força de trabalho nacional. Já os Mywangicos e os Napukoi são nativos, mas que não se identificam com o contexto cultural Kawpasa. Os Mywangicos se identificam como descendentes da Civilização Mywangica, adotando partes dos costumes, como a religião, gastronomia entre outros. Os Napukoi, por outro lado, são nativos da parte insular e, por isso, possuem hábitos diferentes dos continentais.

Os Kawpasas estão espalhados por todo o país, mas se concentram mais na porção centro-sul e oeste. Já a população Auber ocupa majoritariamente a porção centro-leste do país, no planalto, pelo fato da região possuir clima próximo ao de Auberon. Os Uttakhs ocupam a porção norte, predominantemente o estado de Naas. Os Sanchokus habitam na região ao norte de Qimata, próximo à costa. Os Mywangicos ocupam a região que historicamente era ocupada pela civilização homônima, no extremo leste de Kawsalpa, enquanto os Napukoi estão assentados na porção insular, nas ilhas de Mujekee e Fitzroy.

Idiomas[editar | hide | editar código-fonte]

Idiomas de Kawsalpa
Idioma Porcentagem
Auber
  
79%
Keruwa
  
18%
Sukkhanimalik
  
3%

A língua oficial de Kawsalpa é o Auber e o Keruwa, sendo o Auber falado por quase toda a população e o Keruwa falado na região leste, nas regiões de cultura Mywangica. O Auber é o idioma mais usado nos meios de comunicação, nos negócios e para fins administrativos em maior parte do país, enquanto nos estados de Huakripa e Mywangu o uso do Keruwa seja mais comum. Cerca de 79% da população fala Auber, aproximadamente 18% falam Keruwa e, devido ao grande número de imigrantes, 3% da população falam a variante central do Uttakh. Por possuir um grande número de imigrantes e possuir dois idiomas oficiais, a população Kawpasa é em sua maioria bilíngue, especialmente os habitantes de Huakripa, Mywangu, Naas e da região insular.

Devido a variedade de idiomas, em todos os níveis de ensino , obrigatoriamente deve ser pelo menos bilíngue, sendo o Auber e o Keruwa obrigatórios. As aulas e materiais devem ser disponibilizados em ambos idiomas. Essa medida foi decretada a cerca de 7 anos e tem como objetivo integrar e oferecer maior agilidade e confiabilidade em negócios e em ações cotidianas.

Subdivisões[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Subdivisões de Kawsalpa

Kawsalpa é uma República dividida em 11 estados e 237 municípios. Os estados e municípios possuem natureza de pessoa jurídica de direito público, portanto, como qualquer pessoa em território nacional (cidadão ou estrangeiro), possuem direitos e deveres estabelecidos pela Constituição Federal. Estados e municípios possuem autoadministração, autogoverno e auto-organização, ou seja, elegem seus líderes e representantes políticos e administram seus negócios públicos sem interferência de outros municípios, estados ou da União. De modo a permitir a autoadministração, a Constituição Federal define quais tributos podem ser coletados por cada unidade da federação e como as verbas serão distribuídas entre eles. Estados e municípios, atendendo ao desejo de sua população expresso em plebiscitos, podem dividir-se ou se unir. Porém, não têm assegurado pela constituição o direito de se tornarem independentes.

Divisão política de Kawsalpa
Estado Capital População
1 Qemicha Tayekbant 7 058 860
2 Naas Easedare 2 844 096
3 Sodaye Qimata 3 153 962
4 Fluemyngnese Yakuhchuvy 3 692 199
5 Gwollyan Huakripa 877 931
6 Isiboro Mywangu 1 612 108
7 Vicico Nuñoa 1 445 546
8 Lyrcai Teruwe 1 357 389
9 Umala Ayertoke 3 003 613
10 Mujekee Bakyxtent 186 059
11 Fitzroy Atochi 95 131

As unidades federativas são entidades subnacionais semiautônomas (autogoverno) dotadas de governo e constituição próprios que juntas formam a República de Kawsalpa. Atualmente o Kawsalpa é dividida política e administrativamente em 11 estados. O poder executivo é exercido por um governador eleito quadrienalmente. O poder judiciário é exercido por tribunais estaduais de primeira e segunda instância que cuidam da justiça comum.

Os municípios são uma circunscrição territorial dotada de personalidade jurídica e com certa autonomia administrativa, sendo as menores unidades autônomas da Federação. Cada município tem sua própria Lei Orgânica que define a sua organização política, mas limitada pela Constituição Federal. Há um total de 237 municípios em todo o território nacional.

Governo e Política[editar | hide | editar código-fonte]

Kawsalpa é uma república semipresidencialista constitucional, embora seja governado desde a revolução por uma junta militar. O governo é regulado por um sistema de três poderes independentes definido pela Constituição Nacional, que serve como a legislação máxima do país. A sede do governo é a cidade de Taykebant. O sufrágio é universal, igualitário, secreto e obrigatório. O governo nacional é composto por três ramos:

  • O poder executivo é dividido entre Presidente e Primeiro-Minsitro. O presidente fica incumbido do cargo de Chefe de Estado enquanto o Primeiro-Minsitro fica o de Chefe de Governo. O presidente e vice-presidente são eleitos diretamente para mandatos de quatro anos e são limitados a dois mandatos seguidos. O primeiro-ministro é nomeado pelo parlamento, para um mandato de igual duração.
  • O poder legislativo é exercido pelo Congresso Nacional unicameral, composto pelo Senado com 75 membros, com mandatos de seis anos, com um terço tendo direito à reeleição a cada três anos.
  • O poder judiciário é independente dos poderes executivo e legislativo. A Suprema Corte tem sete membros nomeados pelo presidente, em consulta com o Senado. Os juízes de todos os outros tribunais são nomeados pelo Conselho da Magistratura da Nação Kawpasa, um secretariado composto por representantes dos juízes, advogados, o Congresso e o executivo
Parlamento Kawpasa
  Partitu Republikan: 29 cadeiras
  Partitu Wauki: 18 cadeiras
  Partitu Qiskay: 11 cadeiras
  Partitu Q'mir: 10 cadeiras
  Partitu Richkay: 7 cadeiras



Relações Exteriores[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Relações Exteriores de Kawsalpa

Por Kawsalpa ser um país relativamente novo, ela não consegue exercer um poder global efetivo, embora o país hoje seja um líder político e econômico em Letânia. Esta alegação, porém, é parcialmente contestada por Wainui, que também exerce certo poder regional, apoiado pela Internacional Socialista.

Após a Grande Guerra Mundial, os governos democráticos e militares procuraram expandir a influência de Kawsalpa no mundo, prosseguindo com uma política externa e industrial independente e neutra. Atualmente o país tem como objetivo reforçar seu compromisso com a neutralidade e a paz com seus vizinhos e exercer a diplomacia multilateral, através das Liga das Nações.

A atual política externa de Kawsalpa é baseada na posição do país como uma potência regional na Letânia, um líder entre os países em desenvolvimento e uma superpotência mundial emergente. A política externa kawpasa em geral tem refletido multilateralismo, resolução de litígios de forma pacífica e não intervenção nos assuntos de outros países. A Constituição determina também que o país deve buscar uma integração econômica, política, social e cultural com seus vizinhos, Grinquercheve e Wainui.

Forças Armadas[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Forças Armadas de Kawsalpa

As Forças Armadas de Kawsalpa compreendem o Exército Kawpasa, a Marinha de Kawsalpa e a Força Aérea Kawpasa, e são a segunda maior força militar da Letânia, e uma das maiores do ocidente. As polícias militares estaduais e os corpos de bombeiros militares são descritas como forças auxiliares e reservas do Exército pela Constituição, mas sob o controle de cada estado e de seus respectivos governadores.

O Exército é responsável pelas operações militares por terra, possui o segundo maior efetivo da Letânia, contando com uma força de cerca de 256 000 soldados. Também possui a maior quantidade de veículos blindados da Letânia, somados os veículos blindados para transporte de tropas e carros de combate principais. A Força Aérea Kawpasa é o ramo de guerra aérea das Forças Armadas Kawpasas. Autalmente, a FAK tem uma força ativa de 23 890 militares e opera em torno de 128 aeronaves. A Marinha é responsável pelas operações navais e pela guarda das águas territoriais de Kawsalpa. É a mais antiga das Forças Armadas de Kawsalpa, possuindo um corpo de fuzileiros navais, estimado em 12 000 homens.

Economia[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Economia de Kawsalpa

Kawsalpa é a maior economia da Letânia de acordo com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial. O país tem uma economia mista capitalista com alguns recursos naturais. Estima-se que a economia kawpasa irá se tornar uma das maiores do mundo nas próximas décadas, com ajuda das fortes políticas liberais e reformas neste sentido. O PIB (PPC) per capita atual é de 903,29 Kalpa (6001). Ativo em setores como manufatura, agricultura, serviços e mineração, Kawsalpa tem uma força de trabalho de mais de 12 milhões de pessoas e desemprego de 9,7%.

O país vem ampliando sua presença nos mercados financeiros e de commodities internacionais. Entre os principais produtos de exportação estão maquinário pesado, alimentos em geral, materiais bélicos, têxteis, calçados, minérios. Kawsalpa comercializa regularmente a maioria dos países, sendo que a maioria dos bens exportados são manufaturas ou semimanufaturas. O país figura entre um dos maiores exportadores de maquinário pesado e de produtos agrícolas do mundo.

Infraestrutura[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Infraestrutura de Kawsalpa

Educação[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Educação em Kawsalpa
Universidade Federal de Fluemygnese

Após a independência, Kawsalpa construiu um sistema nacional de educação pública se espelhando em outras nações, colocando o país em uma boa colocação no ranking global de alfabetização. Atualmente o país tem um índice de alfabetização de 96% e três em cada oito adultos acima de 20 anos completaram os estudos da escola secundária ou superior.

A ida para a escola é obrigatória dos 6 aos 18 anos. O sistema escolar de Kawsalpa consiste em uma nível primário que dura de seis a sete anos, e um secundário que dura de cinco a seis anos. A educação pública em Kawsalpa é gratuita do primário até a universidade. Apesar da alfabetização ser quase universal no início de 5966, a maioria dos jovens tinha pouco acesso a educação depois dos sete anos obrigatórios durante a primeira metade do século XX; após isso, quando o sistema de educação gratuita foi estendido para o secundário e a universidade, a demanda por locais de ensino tem superado os planos feitos. As universidades públicas de destaque do país são a Universidade Federal de Kawsalpa, com campis em todas províncias e enorme variedade de cursos oferecidos e a Universidade Federal de Fluemyngnese.

Energia[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Política energética de Kawsalpa

De acordo com o levantamento feito pela Federação Industrial Kawpasa, 63% da produção elétrica nacional é dada por termoelétricas, 28% por energia nuclear e os 9% restantes são por combustíveis fósseis. O setor que mais consome energia é o Industrial, seguido pelo Comercial e Residencial. Nos últimos anos, o consumo vem aumentando e o governo tem buscado alternativas para aumentar a produção nacional e diversificar a matriz energética, hoje dependente da queima de gás natural.

Saúde[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Saúde em Kawsalpa
Principal hospital do país, em Taykebant

Segundo a Constituição Federal, a saúde básica é assegurada gratuitamente para todo cidadão Kawpasa em todos níveis do governo, enquanto intervenções mais complexas não são cobertas pela saúde pública, porém são distríbuidos vouchers para que os cidadãos de baixa renda tenham acesso. Esforços governamentais para melhorar a saúde pública têm sido notório nos últimos anos, com inúmeras políticas públicas. Imigrantes e estrangeiros que precisem usar quaisquer serviços de saúde precisam pagar uma taxa de acordo com a cobertura desejada e o período que irá utilizar, que o habilitará a utilizar o sistema de maneira análoga a de um cidadão kawpasa.

A disponibilidade de tratamento de saúde ajudou a reduzir a mortalidade infantil em Kawsalpa de 121 a cada 1000 nascimentos em 5964 para 24,9 em 5996 e aumentou a expectativa de vida ao nascer de 60 anos para 76. O número de mortes por doenças não transmissíveis, como doenças cardiovasculares e câncer, também tem um impacto considerável sobre a saúde da população kawpasa. Finalmente, fatores externos, mas evitáveis, como acidentes de carro, violência e suicídio também impactam o número de mortes no país.

Comunicações[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Comunicações em Kawsalpa

A imprensa kawpasa tem seu início em 5883 com a publicação do primeiro jornal, o Gazeta Kawpasa(nome à ser traduzido ainda), em Qimata, no dia 31 de maio de 5883, sendo até então proibida toda e qualquer atividade de imprensa — fosse a publicação de jornais ou livros. O Diário de Kawsalpa foi o primeiro periódico a ter circulação nacional. Atualmente a imprensa escrita consolidou-se como um meio de comunicação em massa e produziu grandes jornais que hoje estão entre as maiores do país.

A radiodifusão surgiu em 2 de agosto de 5963, sendo a primeira transmissão um discurso do então presidente XXXXX XXXX, porém a instalação do rádio de fato ocorreu apenas em 23 de março de 5965 com a criação da "Rádio Social de Naas".

A televisão em Kawsalpa começou recentemente, a pouco mais de 8 anos, em 28 de setembro de 5993, trazida por XXXXXXX XXXXXXXX que fundou o primeiro canal de televisão no país, a TV Nacional. Hoje, a televisão vem buscando seu espaço no cotidiano, embora ainda seja ofuscada pela vasta presença da radiodifusão, mas especialistas consideram que dentro de alguns anos, com o barateamento da tecnologia, ela representará um fator importante na cultura popular moderna da sociedade.

Transportes[editar | hide | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Transportes em Kawsalpa

O modal rodoviário é o mais utilizado em Kawsalpa, com mais de 235.000 km de rodovias, sendo 65.000 km asfaltadas e duplicadas, onde muito das duplicadas são privatizadas, contando com pedágios, sendo o modal que tem recebido mais atenção do governo federal, com sucessivos investimentos na modernização de rodovias. Já o modal ferroviário, que conta com quase 100.000 km de extensão, tem sido sucateado ao longo dos anos, com congelamento de investimentos e encerramento de linhas interurbanas de passageiros, embora seja mais seguro. O governo pretende privatizar o sistema ferroviário para que não piore a situação atual. O transporte aquaviário não é muito utilizado pela pouca oferta de rios navegáveis e pelo baixo investimento estatal na área, deixando portos sucateados e com investimentos congelados. Existem cerca de 125 aeroportos e aeródromos em Kawsalpa, sendo a maioria com pistas pavimentadas, incluindo as áreas de desembarque. O Aeroporto Internacional de Taykebant, localizado na Região Metropolitana de Taykebant, é o maior e mais movimentado aeroporto do país. Grande parte dessa movimentação deve-se ao tráfego comercial e popular do país e ao fato de que o aeroporto liga o país a praticamente todas as grandes cidades de todo o mundo.

Cultura[editar | hide | editar código-fonte]

O núcleo de cultura é derivado da cultura auber, por causa de seus fortes laços com o império colonial Auber. Entre outras influências aubers encontram-se o idioma Auber e a religião e estilos arquitetônicos coloniais. A cultura, contudo, foi também fortemente influenciada por tradições e culturas Letãs, indígenas e astartinas não aubers.

Alguns aspectos da cultura Kawpasa foram influenciadas pelas contribuições dos katepas e outros imigrantes astartinos que chegaram em grande número nas regiões serranas de Kawsalpa. Os indígenas juntamente aos astartinos influenciaram a língua, a culinária, a música, a dança e a religião do país.

Esse artigo é sobre um estado-soberano da Liga das Nações.