Krasnaya

De UBRwiki
Ir para navegação Ir para pesquisar
Красная Тоталитарная Республика
Krasnaya Totalitarnaya Respublika
República Totalitarista de Krasnaya
Bandeira nacional
Brasão nacional
Bandeira Nacional Brasão Nacional
Lema: Proletariado, una-se e quebre as correntes!
Hino nacional: A canção do proletariado
"Песня пролетариата"
Gentílico: Krasnayo

Localização Krasnaya

Localização de Krasnaya
Capital Oslograd
Cidade mais populosa Oslograd
Língua oficial Krasnayo
Governo República Comunista Totalitarista
 - Líder Supremo Artyom Grigory Dobrochesk
Área  
 - Total 1.619.952,25 km² km² (1.º)
População  
 - Estimativa para 6010 75.600.605 hab hab. (2.º)
 - Censo 6010 75.600.605 hab hab. 
 - Densidade 46,67 hab/km² hab./km² (24.º)
PIB (base PPC)


 - Per capita $ 1572,21 (8.º)
PIB (nominal) Estimativa de 6008
 - Total $ Ġ 118,86 bilhões (2.º)
IDH (6000) 0,699  
Moeda Gremdansk (Ġ)
Org. internacionais Internacional Socialista,
Cód. ISO KRA
Cód. telef. +50
Website .krn

A República Totalitarista de Krasnaya (em Krasnayo: Красная Тоталитарная Республика | Krasnaya Totalitarnaya Respublika) é um país localizado ao leste do continente de Irrula, possuindo territórios ultramarinos na forma dos arquipélagos de Yekagansk e Suksa. Suas terras não fazem fronteira direta com nenhum país reconhecido internacionalmente e, assim sendo, é o único país estabelecido em Irrula. Com uma área de 1 619 952,25 km², é o maior país por extensão territorial do mundo, e possui uma população total de cerca de 76 milhões de habitantes, com sua capital, Oslograd, possuindo cerca de 8 milhões de habitantes.

Conforme seu nome oficial, trata-se de uma República Comunista, de cunho governamental Totalitarista e partido unitário (na forma do Partido Anarco-Totalitarista Krasnayo).Krasnaya é um país de mister importância para os países que compõem o bloco da Internacional Socialista, assumindo de certa forma uma posição de liderança militar e econômica com os demais membros do grupo, bem como de auxílio constante para a manutenção da teoria de Revolução Constante, uns dos poucos que ativamente exercem funções diplomáticas com Krasnaya, visto as posições tidas como 'extremistas' e 'ditatoriais' por demais nações do planeta de Adalar.


Etmologia[editar | hide all | hide | editar código-fonte]

O nome 'Krasnaya' significa, na língua nativa, uma mescla dos termos para "terra" - Земля (aymna), e "vermelha" - красный (krasnny), sendo traduzido literalmente "Terra Vermelha", remetendo-se antes mesmo do contexto político atual pátrio, às tundras e terras próximas à região litorânea do país, estas as primeiras a serem colonizadas de maneira permanente, as quais devido a uma incomum concentração de fosfatos e óxidos no solo, possuem uma coloração distintamente avermelhada, característica esta que foi adotada pelo gentílico local para nomear a região.


1. Pré História e Primeiros povos:[editar | hide | editar código-fonte]

Krasnaya é a nação mais populosa e mais antiga do continente de Irrula, sendo que existem registros subterrâneos, utensílios e fósseis pré-históricos de seres humanos, chamados de первые народы (pervyye narody) - lit. "primeiros povos", de cerca de 40 mil anos de idade encontrados na região litorânea e norte do país, coberta por tundras. Tais primeiros povos eram originalmente nômades, e dependiam da caça de animais selvagens para sua subsistência. As viagens desses povos os levariam a interagir com os primeiros habitantes dos continentes de Normenia e Astoria.

Com o passar de milhares de anos, tais povos nômades adquiriram por meio de interação com povos de outros continentes métodos para eficientemente cultivar trigo, o que foi fator principal para que tais gentílicos iniciassem o processo de estabelecimento permanente, principalmente na região litorânea, que é a mais populosa do país desde então. A pesca logo tornou-se um método de subsistência comum também, de modo que as primeiras navegações Krasnayas levaram ao descobrimento dos arquipélagos de Yekagansk e Suksa, há cerca de dois mil anos atrás, os quais possuem importante vínculo com os reis da região e também localização como entreposto comercial, principalmente com as nações de Astarte, as quais passaram a exercer comércio marítimo com os povos krasnayos desde então.

2. Período médio, monarquias e as Guerras de Conquista:[editar | hide | editar código-fonte]

Apesar das semelhanças culturais e linguísticas existentes na região em que Krasnaya existe em toda a nação, devido a seu certo isolamento, por muito tempo as vastas extensões de terra eram partes de diferentes reinos, caracterizados por serem formados por uma grande cidade principal e grandes latifúndios agrários pertencentes às famílias reais. Entre os principais reinos regionais, podem ser citados o de Novygorod, Oslograd, Prokovsky, Korogulma, Severovichi, Blagoryol e Klitim (hoje considerados diferentes regiões políticas em Krasnaya). O status quo permaneceu por muitos séculos, até o reinado do décimo quinto monarca de Oslograd, Boris XVIII, o Grande, o qual iniciou as chamadas Guerras de Conquista (XXX-XXX), que em quatro décadas de conflito unificou toda a região litorânea e iniciou o período de Monarquia Absolutista, que perdurou por sete séculos e consolidou todo o poder do estado na dinastia Vulgovich. passando por duas grandes reformas. Em especial, a Segunda Grande Reforma (XXX-XXX), foi adequando o país à um regime de Monarquia Parlamentarista, diminuindo o poder do Monarca, mas ainda possibilitando poder moderador e de veto para algumas situações específicas.

"Boris XVIII e a conquista de Klitim" - Autor Desconhecido, circa 5500.


3. A Grande Crise, queda da monarquia e a Guerra Civil de Krasnaya[editar | hide | editar código-fonte]

Em XXX, ano que ficou conhecido como um dos piores de toda a história do continente, pela chamada Великая засуха (Velikaya zasukha) - lit. Grande Seca, na qual cerca de 65% de toda a produção agropecuária foi perdida após um período de cerca de 18 meses sem chuvas, um evento sem precedentes, que forçou medidas de austeridade extremas sobre a população. Estima-se que cerca de 1.2 milhões de pessoas perderam a vida devido à fome, mas não existem registros históricos precisos de tais números. A falta de subsídios e logo após, fotos vazadas à imprensa do Rei Olaf III, o Péssimo, juntamente com alguns membros da nobreza e até mesmo do alto clero de Krasnaya, realizando uma festa com grande quantidade de bebidas alcoólicas, alimentos e doces caros e importados, presentes e regalias folheados a ouro e até mesmo entorpecentes gerou grande instabilidade social em toda a sociedade, colocando em cheque toda a estrutura do sistema político existente à época do fato. A crise econômica, a fome, instabilidade social, falta de legislação trabalhista (a qual permitia diversos abusos a serem praticados pelos donos de estabelecimentos industriais) e escândalos envolvendo o monarca levaram grande número de pessoas, em XXX, a protestarem contra o monarca, o que eventualmente forçou sua abdicação em favor de seu filho, Príncipe Igor IV Vulgovich.

Artyom Dobrochesk, após sua saída do presídio, com 29 anos.

Após um conflito com a polícia, o qual ficou infame pela morte de Petrov Vaniamin, operador de máquinas, o qual foi asfixiado por um policial em Davaimangrad, os protestos se intensificaram e a violência começou a ser disseminada em larga escala, com saques sendo feitos em grandes cidades. A situação tornou-se crítica quando em XXX de XXX, a primeira manifestação violenta na capital, Oslograd, terminou com cerca de 460 mortes na Praça Principal, onde saqueadores e manifestantes foram mortos pela polícia e pela Guarda Real. Muitos historiadores consideram este o estopim da Guerra Civil de Krasnaya, o maior, mais longo e mais letal conflito da história do continente de Irrula, famoso pelo confronto bélico e ideológico entre três principais facções - os Monarquistas, que defendiam a manutenção do atual modelo de governo, com mais reformas impostas para garantir o poder do Parlamento, mas ainda com a figura do Rei, os Republicanos, divididos entre os que gostariam da implementação de uma democracia e pela direita radical, que defendia a instauração de um líder forte no país, e a Frente Revolucionária, formada por diversos elementos da esquerda, unidos pelos diferentes líderes sindicais e partidários que operavam in incognito, em especial, Artyom Grigory Dobrochesk, líder do então Partido Anarco-Totalitarista Krasnayo.

Artyom Dobrochesk nascera em uma família pobre de camponeses na vila de Poldovina, região do Principado de Oslograd. Terceiro filho de um total de sete irmãos, seu pai Vasil tinha em mente para que Artyom fosse ao monastério para tornar-se um padre como era de costume para muitos na região, numa tentativa de poupá-lo da pobreza extrema que assolava muito das camadas mais baixas da população na época. Mudara-se então aos 11 anos ao Monastério de Poldovina, onde estudara teologia e aprendeu a ler e escrever, além de diversas teorias políticas, mas não acreditava que o clero cumprisse um papel para a sociedade importante, e assim, aos 17 anos, escapou do convento para ir trabalhar na capital do país, Oslograd. Na capital, morou em barracos e favelas, tentando sobreviver trabalhando como um operador de máquinas numa fábrica de motores. Cansado das condições em que vivia, após ter de presenciar um de seus amigos próximos morrer por hemorragia ao perder um braço enquanto trabalhava e não receber socorro, começou à realizar protestos e formar sindicatos, os quais à época eram ilegais. Em seu segundo grande protesto, metade dos manifestantes foram mortos ou presos pela polícia, ao ver que o principado encontrava-se em uma grave crise político-econômica. Após tal evento, Artyom debruçou-se sobre os estudos e teorias anarquistas, socialistas e comunistas, e após meses de estudo e fuga das autoridades, fundou o Partido Anarco-Totalitarista de Krasnaya, o qual operava sob o olhar das autoridades. Aos 26 anos de idade, fora preso e condenado à morte por 'terrorismo e crimes contra a estabilidade nacional' quando a sede secreta do partido fora tomada, durante o início das manifestações contra Igor III. Continuou, todavia, apoiando seus companheiros de Revolução por cartas as quais enviava escondido de sua cela, e após receber algumas armas pela janela de sua cela durante a noite, as entregou aos demais detentos e causou a Revolta do Presídio Central de Olsograd, que acabou possibilitando sua fuga e que se juntasse com as demais forças revolucionárias na guerra civil, tomando a posição de líder da frente popular por sua retórica.

A execução da Família Real Vulgovich, em XXX.

Após cinco anos de Guerra Civil, com a captura dos líderes do Exército Amarelo (nome dado aos Monarquistas), da família real e dos demais líderes das outras facções, por parte dos revolucionários, o conflito finalmente chegara ao fim, deixando um total de cerca de 9.6 milhões de mortos, e inúmeros desabrigados e feridos. Em XXX de XXX de XXX, a família real foi fuzilada na Praça Central de Oslograd, ato que deu fim a sete séculos de monarquia e início às primeiras convenções dos representantes revolucionários, que pôs Artyom Dobrochesk na figura de Chefe de Estado.

1. Clima, fauna e flora[editar | hide | editar código-fonte]

O clima de Krasnaya é marcado pela presença ao sul do país, mais próximo de áreas de calor e correntes oceânicas mais quentes, pela existência de vastas extensões de climas mediterrâneos com verão fresco, bem como, nas regiões costeiras, de um clima oceânico, com temperaturas de cerca de 20º C, em média, no verão. No inverno, as temperaturas podem variar de 0ºC até -5ºC, em média. As leves colinas existentes nesta região são cobertas por vastas florestas de árvores de grande porte, com elevados índices de precipitação durante o ano (que torna a região suscetível à diversas tempestades durante todo o decorrer do ano), fato que faz da região a mais fértil de Krasnaya, e que, por conseguinte, vem causado problemas de desmatamento crescentes nos últimos anos. O país possui grande dependência da produção rural de grãos e outros alimentos originados desta região, conhecida como зеленые холмы (zelenyye kholmy) - lit. "morros verdejantes".

Mapa contendo os principais climas observados em Krasnaya e regiões próximas.

Nos arquipélagos de Yekagansk e Suksa, observa-se predominantemente um clima monçônico, com temperaturas na média de 23º C obtidas durante todo o ano, com grandes quantidades de chuva durante a estação chuvosa, geralmente na forma de tempestades frequentes, maiores e mais potentes até mesmo do que as observadas continentalmente no sul de Krasnaya. Por tal motivo, a navegação, torna-se consideravelmente arriscada em tais meses, o que leva pescadores a pausarem seus ofícios.

Na região central e ao norte do país, tanto no literal quanto no interior do continente, próximo à regiões de maior altitude, é completamente predominante um clima de tundra, com temperaturas que chegam ao máximo 12º C no verão e temperaturas extremamente frias no inverno. A região não possui árvores, somente pastos vastos que propiciam em pequena escala, a pecuária de bovinos característicos do continente, acostumados ao frio extremo, mas somente nas regiões mais próximas da costa onde existe mais precipitações durante o ano que possibilitam o crescimento de gramíneas. A pesca de salmão, endêmico em gigantescos cardumes próximos à costa, denota-se, contudo, como o principal meio de subsistência para muitos que habitam tais regiões. A caça às lebres brancas krasnayas, bem como diversos outros animais de pequeno porte que existem em grande número na tundra úmida, também é parte considerável da obtenção de alimentos. Próxima as montanhas, observa-se a tundra alpina, caracterizada pelo frio extremo, ausência de permafrost e ventos de alta velocidade, ambiente o qual propicia somente que algumas espécies possam prosperar, em especial, os lobos albinos e algumas espécies de aves.


2. Topografia[editar | hide | editar código-fonte]

A topografia de Krasnaya é intrinsicamente ligada ao clima da região - ao sul do país, as regiões mais planas (que se estendem continente adentro nas chamadas "Гигантские равнины" (Gigantskiye ravniny) - lit. "Pradarias Gigantescas", com chuvas bem distribuídas durante o ano que são permitidas pelo influxo de ar úmido marinho. Ao norte, onde o clima é mais frio, a maior barreira natural do país é marcada pela Cordilheira dos Montes Davhkvai, formação rochosa de altitude considerável que divide a costa do interior do continente e estende-se até o extremo norte do continente de Irrula, paralelamente à costa.

Demografia[editar | hide | editar código-fonte]

Imagem aérea de Prikolosty, na região metropolitana de Oslograd (6003).

Krasnaya é o Xº país mais populoso do mundo, com 61.325.742 de habitantes, de acordo com o último senso populacional realizado em 6000. A densidade populacional é de 138.53 hab/km², colocando o país na Xª posição de país com a população mais densa. A maioria da população encontra-se concentrada na região costeira do país, em especial a do sul, devido ao clima mais ameno e maior acesso à produtos agrícolas, atividade econômica mais predominante na região. Da mesma forma, a cidade mais populosa do país é Oslograd, a capital, que possui 5.943.538 habitantes, conforme senso de 6000. A região Metropolitana de Oslograd se estende por mais 18 municípios, com uma população conjunta de 10.002.527 habitantes.

Economia[editar | hide | editar código-fonte]

Krasnaya possui o Xº maior PIB do mundo, com 204.256.845 milhões de Gremdansk (Ġ) sendo registrados pelo estado, com um PIB per capita de XXX. Originalmente um país agrário e pastoril, tal realidade mudou com uma mudança para uma economia planificada após a implementação dos planos quinzenais e de recuperação econômica emergencial feitos por Dobrochesk após a sua ascenção ao poder, o país passou a investir de grande forma em uma agricultura mecanizada, e aproveitando o parque industrial adaptado durante a guerra civil para produção de armamento bélico para a continuação da linha de produção destes (o que resultou em um exército e número de equipamentos desproporcionalmente grande em comparação com diversos outros países de Adalar). Assim sendo, Krasnaya é o Xº maior produtor de trigo e soja do mundo, devido às condições climáticas ideais para a cultura de grãos nas regiões agrárias do país, dependendo, todavia, da importação de frutas, café e borracha, tanto para mercado civil interno, quando para suas fábricas de veículos, tendo em vista as dificuldades de manter tais culturas pelas condições climáticas existentes. Por outro lado, a tundra gelada e o permafrost existentes na maioria do país esconderam até após o fim da guerra civil em XXX um tesouro enterrado - a camada Blyahch, no norte do país, um dos maiores reservatórios subterrâneos de petróleo do mundo.

Linha de produção da empresa Cosmpol-Vamir, de MBTs modelo T-55, em Oslograd (6000).

Com a criação da Компания по добыче полезных ископаемых (Guynarya Kompaniya po Dobyche Poleznykh Iskopayemykh)

- lit. Companhia de Extração Mineral Guynarya, bem como a Новгородский бензин (Novgorodskiy Benzin), -lit. Petróleo Novygorod empresas estatais responsáveis, respectivamente, pela extração e refinamento do petróleo encontrado, Krasnaya passou a ser o Xº maior produtor de combustíveis do mundo, o que complementou sua Xº posição como maior produtor de produtos bélicos - posição esta, justificada, pela participação entre outras, da омспол-Вамир Авиационно-бронированный завод (Comspol-Vamir Aviatsionno-Bronirovannyy Zavod), lit. Fábrica Estatal de Aeronaves e Blindados Cosmpol-Vamir, a maior empresa por receita do estado Krasnayo, bem como um dos maiores produtores de veículos militares do mundo, com produtos destinados ao Exército Vermelho de Krasnaya, bem como outros parceiros comerciais do país.

Cultura[editar | hide | editar código-fonte]


Esse artigo é sobre um estado-soberano da Liga das Nações.