Suðvestanleið

De UBRwiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

Suðvestanleið é um país localizado ao Sudoeste de Astarte, caracterizado por suas florestas de pinheiros ao leste, morros frios ao norte, e planícies congelantes ao oeste. A Sudvéstia é um reino de governo parlamentarista, onde ambos a família real e eleitos governam o país em conjunto. Sua religião, o Átta Yfirmenn é de caráter politeista e sacrificial, e seu povo é majoritariamente de influência Norsk ((Escandinava)).

Suðvestanleið
Konungsríkið Suðvestanleiðs
Sudvestia.png
Brasaosudvestia.png
Bandeira de Sudvéstia Brasão de Sudvéstia
Lema: Fyrir átta og Konung!
Hino nacional: Átta bjarga Suðvestanleiðs
Gentílico: Sudvestinos(as)

[[Ficheiro:Mapasudvestia.png|270px|center|Localização Suðvestanleiður Sudvéstia]]
Suðvestanleið fica ao Sudoeste de Astarte
Capital Gullnaborg
Cidade mais populosa Gullnaborg
Língua oficial Islenþýskur
Governo Monarquia Parlamentarista
 - Rei Vilhálm I
 - 1º Ministra Jóhanna Ilfrygöd
 - Número de ministérios 16
Área  
 - Total 707.805 km² km² 
População  
 - Censo 10,6 milhões hab. 
 - Densidade 14,98 por Km² hab./km² 
PIB (base PPC)
 - Total $ 21 Bilhões 
 - Per capita $ 980.5 
Moeda Suðvestan þorskur (SVþ)

Etimologia[editar | hide all | hide | editar código-fonte]

O termo Suðvestanleið vem de "Suðvestan" (Sudoeste) e "leið" (Caminho), a terra foi assim nomeada pelos povos astarteanos que cá realizavam comércio com os residentes. O termo eventualmente foi difundido por toda sua extensão, e fora oficializado como nome oficial do reino por Sigurð, após a unificação em xxx.

Pré-História[editar | hide | editar código-fonte]

Não há muitos registros existentes dos primeiros habitantes da região, os indícios mais antigos, como a runestone de senuaforn apontam para a vinda de povos do norte e nordeste que lá se estabeleceram.

Runestone de Senúaforn

Antiguidade[editar | hide | editar código-fonte]

Historiadores e Arqueólogos descobriram a existência de uma sociedade dividia em clãs e tribos, que competiam entre si por recursos e território na região. Vários tabletes de pedra e riscos em rochas achados, indicam o surgimento de uma versão primitiva do alfabeto rúnico que se conhece do povo Sudvestino, e através de sua tradução, foi possível entender um pouco mais sobre as práticas religiosas e cotidianas do passado.

(Inserir Pedras e Resumos da vida antiga)

Antigas Runas


Durante este período de guerras e intrígas, o povo que habitava a região era infame por realizar saques por toda a costa Reotênica, destruindo vilas e saqueando seus bens para trazer de volta ao clã que pertenciam. Ao longo de vários anos, muitos desses desbravadores e viajantes se perderam e se fixaram em variados locais por todo o Reoten, acredita-se que chegaram até onde hoje fica Saiman e Grinquercheve.

Syndimisäntö

Idade Média[editar | hide | editar código-fonte]

As tribos eventualmente casaram-se umas com as outras, formando uniões poderosas, ou integrando famílias inteiras à clãs maiores. Várias famílias subiram ao poder das regiões em que se encontravam, acredita-se que por um período a paz reinou, mas eventualmente crises de herança e brigas internas fizeram com que novos lideres mais agressivos tomassem o poder. Durante um período de instabilidade, e ambições de poder, apenas 6 clãs majoritários tinham o controle da maior parte do país, estes clãs deram início à um período que ficou conhecido como a Guerra Centenária. Nos últimos anos deste caos, um grande guerreiro chamado Sigurð, tomou a força o poder de um dos clãs, os Gullhjarta, e prosseguiu a fazer a conquista das demais regiões, sua tomada é cantada até hoje em poesias e canções, e sua imagem é extremamente religiosa, sendo que para os Àtta Yfirminos, Sigurð é considerado um semideus em Adalar. Sua linhagem seguiu por muitos anos, o país prosperou.

Agora unificada, Sudvestia desenvolveu sua pesquisa, importou de reinos vizinhos, e começou uma revolução tecnológica, modernizando sua estrutura governamental, criando um exército real, instituindo leis, criando um congresso para o povo, reformas agrárias, e desenvolvendo um verdadeiro projeto de nação para o povo Sudvestino. Este período é documentado como a Ascenção D'Ouro.

Idade Moderna[editar | hide | editar código-fonte]

O Marco do novo período na história Sudvestiananaa tomada de poder por outra família real, os Gamaltsverð, chefiados pelo agora Rei Harvik e seu apoio Mättä. Sua ascenção se tornou possível após uma crise regencial nos Gullhjarta, o rei Gunther não possuia herdeiros, e não sabia que havia engravidado sua esposa jovem. O desespero da realeza junto da incerteza da população deram a oportunidade que o reino vizinho queria para ter um governo aliado em sua influência. Harvik e sua corte invadiram o palácio real, e expulsaram a família de lá, levando-os para um porto em um navio destinado para a Letânia, local onde imaginavam que a realeza Gullhjarta nunca mais voltaria.

A população não ficou sabendo do acontecido, e os Gamaltsverð consolidaram seu poder após ''Um trágico acidente envolvendo o navio real''. E lá permaneceram por duas gerações de monarcas déspotas, até sua eventual deposição pelo povo na grande guerra de Adalar.

A fuga dos Gullhjarta

A família real atracou em Syndimisäntö, junto de dois navios com servos reais e outros da população, outros 3 clãs foram expurgados em conjunto com os Gullhjarta, ao todo 6 navios da frota real, que logo em seguida os deixaram.

O Domínio Gamaltsverð[editar | hide | editar código-fonte]

A Guerra[editar | hide | editar código-fonte]

((Sua esposa estava grávida de uma menina sem que sabesse))

((Gamaltsverð eram relacionados aos Mättä))

((Gullhjarta refugiaram-se em Uttakham, e continuaram a espionar seu antigo país))

((Insira a NãoRealezaFranceza aqui))

((Guerra))

((O povo decapita a família Gamaltsverð em público, e demanda a volta dos Gullhjarta))

((O rei Karl I assume o poder))

Idade Contemporânea[editar | hide | editar código-fonte]

Pós-Guerra[editar | hide | editar código-fonte]

Hoje[editar | hide | editar código-fonte]

Hoje Suðvestanleið continua sob o reinado de ouro dos Gullhjarta, agora com uma nova forma de administração mais democrática e favorável ao povo Sudvestino. O rei Vilhálm I como figura real do país, chefia as decisões do país ao lado da primeira ministra Jóhanna Ilfrygöd, e o chefe da câmara Alfrid Finnbogasson.

A História em Bandeiras[editar | hide | editar código-fonte]

A sudvéstia teve diversas bandeiras consideradas oficiais pelos monarcas que a governava, desde os períodos pré-Sigurðianos, até os dias atuais. Lista de Bandeiras de Suðvestanleið

Geografia[editar | hide | editar código-fonte]

Suðvestanleið fica ao Sudoeste gélido de Astarte, seu território consiste de Tundras, Mares de morros, e florestas boreais com pinheiros.

Tem um muro bem grandão na fronteira sudvestina-öldiense, construída durante os períodos de saques astarteanos, feita para manter invasores indesejados do território Gamaltsverð, por volta do ano 4830

xxx

Demografia[editar | hide | editar código-fonte]

A população Sudvestina consiste aproximadamente de 10.6 milhões de habitantes, com uma densidade de aproximadamente 14,98 habitantes por kilômetro quadrado. O país possui uma esmagadora maioria étnica de Sudvestinos, iconicamente de pele, cabelos e olhos claros, apesar de concentrar algumas minorias em diversas cidades em bairros de comunidade.

A esperança de vida para homens é por volta de 65,5 anos, enquanto das mulheres é de 66,2. O país possui constitucionalmente direitos iguais amplos para ambos os gêneros desde sua formação, o que proporcionou uma equilibrada distribuição de oportunidades para ambos.

Religião[editar | hide | editar código-fonte]

A religião oficial do país é o Átta Yfirmenn. A crença é da existência de oito divindades protetoras de diversas esferas da vida, com a figura central, o criador e deus da Fertilidade: þenrar (gênero ambíguo). As outras sete divindades são Stuhn, Ravn, Senúa, Tyrur, Höstur, Oshkk, e Hesða.

A construção mais antiga ainda em pé em Sudvéstia é o Krákahreiður, um templo para os Átta, localizado em Senuaforn. A capital Gullnaborg conta com um enorme templo moderno construido em xxx, que hoje serve como sede da religião.

Krákahreiður, em Senúaforn
Hallgrimskirkjuturn, o templo principal dos Átta



Língua[editar | hide | editar código-fonte]

A lingua Sudvestina, o Islensþýskur é uma língua que teve influências mínimas de esferas linguísticas estrangeiras, como as de Kylmätta, Helgedoff e Hallestein, e mantêve-se majoritariamente uma língua nascida e desenvolvida alí mesmo.

Política[editar | hide | editar código-fonte]

Suðvestanleið é uma monarquia parlamentarista, dividida em quatro poderes, o Executivo, o Legislativo, o Judiciário, e o Moderador (Rei/Rainha). O país possui um sistema pluripartidarista e democrático para a eleição do Legislativo, que então faz o voto indireto para o executivo. O judiciário é apontado pelo rei, mas deve receber a aprovação do primeiro ministro e do chefe da câmara.

O rei exerce o cargo de chefe das forças armadas(Her Suðvestanleiðs), e devidamente deve ser instruído na academia militar superior para o comando das mesmas.

Hjotvik Háskóliher, a Academia Superior Militar em Hjotvik

Há divisões dentro do governo, chamadas de clãs de ouro, são as bancadas principais que constituem o governo, independente de partido, são eles os Militares, os Ruralistas, os Empresários, os Trabalhadores, e os Tecnocratas. Para uma lista completa dos partidos políticos de Suðvestanleið acesse: (Partidos Políticos de Suðvestanleid)

Ministérios de Suðvestanleið[editar | hide | editar código-fonte]

Economia[editar | hide | editar código-fonte]

A Economia Sudvestina gira em torno de 3 principais fontes: o petróleo bruto, a pesca, e a indústria têxtil. Fontes secundárias mas extremamente relevantes são, a produção de eletrodomésticos e computadores, a apicultura, e o investimento de pesquisas para desenvolver novas tecnologias.

Mapa da distribuição econômica de Suðvestanleið, demonstrando o setor maior contribuínte para a região.


Petróleo[editar | hide | editar código-fonte]

Suðvestanleið possui uma vasta e rica área petrolífera na costa-centro do país, além de outras regiões com uma menor extração. O país não realiza o processo de refinamento do petróleo, porém extrai e vende o produto bruto para outros países, e compra-o de volta por um preço reduzido. A baixa indústria de refino no país é limitada para apenas para o setor militar e seus veículos.

A entidade responsável pelo controle do petróleo sudvestino, e sua circulação dentro e fora do país é a empresa Svartgull.

Agronegócio[editar | hide | editar código-fonte]

Indústria High-Tech[editar | hide | editar código-fonte]

Dentro do setor high-tech sudvestino, destaca se a empresa automobilística Scaðan.

Centros de Pesquisa[editar | hide | editar código-fonte]

Infraestrutura[editar | hide | editar código-fonte]

A Sudvéstia possui uma rica e desenvolvida infraestrutura.

[Saúde][editar | hide | editar código-fonte]

O sistema de saúde sudvestino é majoritariamente público, ou com forte investimento governamental. O acesso universal à Assistência Médica para os cidadãos foi uma das principais prioridades dos Gullhjarta em sua volta, e desde então a população conta com acesso direto a Saúde Publica, porém apenas os que encontram-se nas situações de: idade de 0-5 anos sem escolaridade. 0-20 anos com escolaridade, dos 20-60 anos ou com carreira acadèmica, ou com emprego/estágio. Cidadãos aposentados, com mais de 60 anos possuem acesso gratuito à saúde, com apenas o custo individual de remédios para doenças não cobridas no plano de saúde do Estado.

[Educação][editar | hide | editar código-fonte]

O sistema educacional sudvestino é composto por 4 principais divisões. A Educação Infanto-Juvenil, a Educação Fundamental, o Ensino Pré-Universitário, e o Ensino Universitário. Neles o processo de aprendizado procura formar cidadãos bem capacitados para exercer as mais diversas profissões e ramos trabalhistas da nação. As crianças aprendem a ler e escrever desde jovens em Islenþyskur e Auber, além disso dá oportunidades para o aprendizado das linguas Mättä, Südelk e Katepa para o decorrer da vida escolar do aluno. Além das línguas, os jovens aprendem todo o currículo matemático e científico ao longo do período de ensino, as escolas do governo possuem como matéria opcional o ensino religioso. No período de Ensino pré Universitário, o aluno opta por fazer apenas os cursos voltados para o seu ramo.

Para alunos que não querem seguir carreira acadêmica, há as Gagnfræðaskóli, ou as ''Escolas Superiores'', nas quais são oferecidos cursos profissionalizantes das mais diversas milhares de profissões oficializadas no país. É significantemente mais fácil entrar em uma Gagnfræðaskóli do que em uma das universidades do país.

O ensino militar é promissor no país, sendo que é o ramo escolar que mais recebe investimentos no país, e por consequência, a mais concorrida por vagas. O serviço militar é voluntário no país, e possui cargos dos mais bem pagos, por estarem diretamente relacionados com um dos setores mais importantes do país. A cobrança de dívidas financeiras ao estado é paga ou por aprisionamento, ou serviço mandatório por 1 ano.

Universidades[editar | hide | editar código-fonte]

O sistema Acadêmico sudvestino é inteiramente público, o país ilegaliza a formação de universidades particulares e acredita fielmente na formação de seus alunos por meio das organizações do estado, herança Gamaltsverðiana para a nação. As mais promissoras universidades ficam em Gullnaborg, Sigurðhjarta, Hávamál e Hjotvik, todas são reconhecidas pela comunidade internacional acadêmica, e atuam como uma só no Conselho Acadêmico Sudvestino.

[Energia][editar | hide | editar código-fonte]

O setor de Energia de Suðvestanleið é suprido majoritariamente por usinas Maremotrizes na laguna de Oshkk, campos de energia eólica por todo o país e por fontes militares como a usina Nuclear de Ísvestur. Sudvestinos apesar de vender petróleo bruto, procuram suprir as necessidades energéticas de seu país da forma mais limpa e eficiente possível.

[Segurança][editar | hide | editar código-fonte]

O setor de segurança sudvestino é composto de duas divisões, e suas ramificações. O Doméstico e o Bélico.

Doméstico[editar | hide | editar código-fonte]

A divisão doméstica sudvestina é responsável por manter a ordem no país e a segurança de seus cidadãos por todo o território. Suas ramificações são: Força Policial Civil, Polícia Real, Polícia Metropolitana, Agência de Segurança e Comunicação Nacional, e o Corpo Nacional de Bombeiros.

Bélico[editar | hide | editar código-fonte]

A divisão Bélica sudvestina toma conta dos interesses e preocupações além-de-fronteira do país, garantindo a segurança dos interesses e da soberania de Suðvestanleið. Se ramificam em: Forças Armadas Sudvestinas, Força Aérea Real, Marinha Real, Regimento Real de Tropas Especializadas, e Departamento Bélico de Informação e Segurança.

Espaços Públicos[editar | hide | editar código-fonte]

Dentre parques e museus, Suðvestanleið conta com a presença de diversos espaços gerenciados pelo estado e particulares ''públicos'' e possui planos para aumentar o lazer da população nas grandes cidades e no campo.

Cultura[editar | hide | editar código-fonte]

Além da Religião, a cultura de Suðvestanleið é composta de vários outros elementos que datam desde os tempos de Sigurð e antes.

Música[editar | hide | editar código-fonte]

A música tradicional da Sudvéstia é composta de duas principais categorias: A anciã religiosa, e a Clássica.

Anciã[editar | hide | editar código-fonte]

É composta de rítmos tribalistas, com muitos tambores, chifres e harpas, o canto é também uma parte íntegra desse estilo, canções de louvor aos Átta, e canções de guerra geralmente são compostas por um coro masculino e uma cantora feminina em destaque.

Clássica[editar | hide | editar código-fonte]

A música clássica tradicional da Sudvéstia é composta principalmente pelo instrumento nacional do país, a Nyckelharpa, e uma combinação de cantos e percussões. Suas origens são mais recentes e datam da época dos ultimos anos dos Gullhjarta no poder antes da ascenção dos Gamaltsverð.

Nyckelharpa


Dança[editar | hide | editar código-fonte]

As danças Sudvestinas consistem de quadrilhas animadas em comemoração a diversas coisas, como: A dança da Colheita, A dança da Fertilidade, A dança da Chuva, A dança de Sacrifício, etc.

Existem também as danças ritualísticas para cerimônias religiosas específicas, como: a Hateka-Harja, e a Uþulðevðás.

Vestimentas[editar | hide | editar código-fonte]

Vestimentas formais femininas
Vestimentas formais masculinas

Dentre as vestimentas tradicionais de Suðvestanleið, as típicas consistem na Þjóðbúningurinn, um conjunto de trajes que datam desde as primeiras sociedades da região, que sofreram mudanças ao longo dos anos, e tiveram um estilo em comum.

Vestimentas de Camponesas
Roupas formais femininas


Os trajes de casamento são utilizados até os dias atuais, e as vestimentas comuns e nobres, em festas e comemorações típicas.

Casamento Átta Yfirmino com vestimentas típicas


Culinária[editar | hide | editar código-fonte]

Sopa-do-Mar
Bacalhau Grelhado
Meadery.jpg

A cozinha Sudvestina, como de se esperado é principalmente composta por peixes, raízes e cereais. O país é conhecido por seu bacalhau e sua carne de ovelha, juntamente da bebida nacional, o Hidromel.



Influências Estrangeiras[editar | hide | editar código-fonte]

(Influências Mättä)

(Influências Helgedoff)

(Influências Hallestein)

(Influências Uttakham nos Gullhjarta)

Esportes[editar | hide | editar código-fonte]

Símbolo da K.S.S
Suðvestanleið possui alto interesse no mundo dos esportes, os principais do país sendo o Futebol, o Handball, o Tênis, e a corrida de barco à vela. A Sudvéstia adora competir e provar seu mérito em competições nacionais e internacionais, como as Olimpíadas e as Copas do Mundo.

Futebol[editar | hide | editar código-fonte]

Símbolo da H.S.S

A Associação Sudvestina de Futebol (K.S.S) é responsável pela organização das 3 ligas nacionais, a copa nacional, e pela seleção nacional da Sudvéstia. Foi criada em (xxx) e desde então teve diversos times de relevante sucesso no cenário mundial.

Para mais detalhes veja: Times de Futebol da Sudvéstia.


Handebol[editar | hide | editar código-fonte]

A Associação Sudvestina de Handebol (H.S.S) é responsável pela organização das 2 ligas nacionais, as duas copas nacionais, e da seleção nacional e olímpica da Sudvéstia. Foi criada em (xxx) e teve grande destaque por ser o esporte nacional do país ao lado do futebol.

Magnus Örn, lendário tenista sudvestino

Tênis[editar | hide | editar código-fonte]

A Sudvéstia foi berço de diversos nomes promissores no tênis. Um deles é Magnus Örn Scheving, lendário esportista com 4 títulos mundiais em seu currículo, trouxe muito orgulho e festa para o povo Sudvestino.


Barco à Vela[editar | hide | editar código-fonte]

(sim)

F1 TEAM.png

Fórmula 1[editar | hide | editar código-fonte]

Unica equipe do país, a Svartgull-Scaðan Racing, é a união entre duas empresas importantíssimas de Suðvestanleið, que juntas procuram ingressar com tudo no ramo competitivo automobilístico da fórmula 1. A equipe também é presente em várias outras categorias de corrida, como corrida de caminhões, motos, e carros esportivos.


Hóquei de Gelo[editar | hide | editar código-fonte]

Os sudvestinos recentemente ingressaram ao cenário competitivo do hóquei de gelo, e conseguiram reunir dois times nas duas maiores cidades do país, as Gralhas e os Monarcas, respectivamente de Gullnaborg e Sigurðhjarta. A Federação Nacional de Hóquei é sediada na capital e a partir do ano de 6010 terá formalizado suas ligas e seus novos times para o início da oficialização do esporte na Sudvéstia.