Tulysanne

De UBRwiki
Ir para navegação Ir para pesquisar
Tulysanne
''

Bandeira nacional [[Ficheiro:|85px|center|]]
Gentílico: Tulysanês

Localização Tulysanne

Localização de Tulysanne continente de Astarte
Capital Zasdra
Cidade mais populosa Zasdra
Língua oficial Emmerico
Língua não-oficial Unamês
Governo Monarquia
 - Grande Guerra  
Área  
 - Total 395,000 km² 
População  
  11.257.000 hab. 
 - Densidade  (28,5.º)
PIB (base PPC)
 - Total $ 22,2 bilhões 
 - Per capita $ 1.980,25 
Moeda Tulys (TLY)
Fuso horário 0 (UTC0)
Org. internacionais Liga das Nações
Cód. ISO TLY
Cód. Internet .??
Cód. telef. +110

Mapa Tulysanne

Tulysanne é um país landlocked do continente de Astarte. Possui uma área de 395,000 km² e faz fronteira com Südelbar ao noroeste, Auberon ao norte, Kakhabad ao nordeste, Ushktëp ao leste, Hallestein ao sudeste e Kylmättä ao sudoeste.

O país é informalmente divido em duas regiões, que já possuíram fronteiras históricas: o norte, conhecido como Zasdranne, onde no passado esteve o reino de mesmo nome; e o sul, conhecido como Tulysia, uma região que no passado foi um conglomerado de pequenas assentamentos de povos descendentes dos Unami. Entre essas duas regiões, compreendendo o norte do lado Nivinie até o início da Serra de Golvesi, está localizado a Estepe Unami, uma grande região árida e pouco habitada.

Demografia[editar | hide all | hide | editar código-fonte]

Demograficamente, o norte do país concentra mais da metade da população, além de ser o centro financeiro e político da nação. As grandes vinícolas e as cidades históricas de Cadrevinie e Zasdra atraem turistas de toda Adalar, além de serem lar da elite aristocrática de Tulysanne. O sul, historicamente menos desenvolvido e palco de conflitos seculares, possui um regionalismo cultural distinto, com economia predominantemente agrícola e cidades pouco populosas, onde a população é consideravelmente menos abastada que os vizinhos nortenhos. A descoberta de importantes reservas minerais nas áreas montanhosas do centro-sul gerou grande interesse do Estado na industrialização da região, o que pode finalmente diminuir a histórica desigualdade social que divide a nação.


Esse artigo é sobre um estado-soberano da Liga das Nações.